MPE entrega prêmios em cerimônia que celebrou a responsabilidade social do jornalismo

A noite de sexta-feira foi de emoção para os profissionais da imprensa tocantinense, ficando marcada pela revelação dos ganhadores da 3ª edição do Prêmio Ministério Público de Jornalismo. Além da premiação dos melhores trabalhos do ano de 2018, também houve um momento de bate-papo com a jornalista Cristina Serra, convidada especial do evento.

O Procurador-Geral de Justiça, José Omar de Almeida Júnior, deu boas-vindas aos finalistas, falou da relação de proximidade do Ministério Público e da imprensa e destacou que o momento é de confraternizar. “Vocês, jornalistas, que frequentam habitualmente esta casa, hoje são convidados de honra. Estão aqui para receber nossas homenagens e nossa demonstração de respeito e agradecimento”, pontuou.

José Omar acrescentou que muitos dos fatos denunciados pela imprensa resultam em ações do Ministério Público. “O prêmio é uma forma de celebrar esse trabalho colaborativo, de incentivar o jornalismo socialmente responsável e de reconhecer a contribuição pessoal de cada profissional finalista para a construção de um Tocantins mais justo e igualitário”, concluiu.

Já a jornalista Cristina Serra falou sobre os riscos e a missão da profissão de jornalista, que denominou humanística, assim como a atuação do Ministério Público. “A matéria prima do Ministério Público é a mesma nossa. É o cidadão, o povo, o contribuinte, o doente na fila do hospital, o seu José….”, pontuou.

Cristina Serra elogiou o prêmio de jornalismo do Ministério Público e a qualidade dos trabalhos apresentados. “O mundo e o jornalismo estão passando estão passando por uma série de questionamentos, pois o jornalismo tem sido muito criticado. Então é importante ver iniciativas como essa que valorizam o trabalho do repórter, que valorizam sobre tudo a reportagem.”

Nesta 3ª edição, o Prêmio Ministério Público de Jornalismo teve como tema “Direitos e deveres do cidadão – o Ministério Público se faz presente”. Além de troféus, os ganhadores receberam premiação em dinheiro, no valor de R$ 2.500,00 para o primeiro lugar de cada categoria, R$ 1.500,00 para os segundos colocados e R$ 1.000,00 para os terceiros colocados.

O Ministério Público premiou trabalhos nas categorias de Jornalismo impresso, Radiojornalismo, Telejornalismo, Webjornalismo e Fotojornalismo. Do total de 42 trabalhos inscritos, 15 foram premiados.

Na realização do prêmio, o MPE teve como parceiros a Associação Tocantinense do Ministério Público (ATMP) e a Associação dos Servidores Administrativos do Ministério Público (Asamp), além do apoio do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Tocantins (Sindjor).

Para 2019, o Procurador-Geral de Justiça anunciou a continuidade do projeto, com a realização da 4ª Edição do Prêmio Ministério Público de Jornalismo. (Flávio Herculano)

Vencedores da 3ª Edição do Prêmio Ministério Público de Jornalismo

Categoria Jornalismo Impresso
1º lugar: Luana Fernanda (Jornal do Tocantins) – Violência sexual vem de dentro de casa
2º lugar: Elâine Jardim (Jornal do Tocantins) – Palmas arde em chamas todos os anos
3º lugar: Dermival Pereira (Jornal do Tocantins) – Mananciais à beira da morte

Categoria Radiojornalismo
1º lugar: Ananda Portilho (CBN Tocantins) – Jovens de baixa renda são maioria no sistema penitenciário do Tocantins
2º lugar: Mara Santos (Redesat/96 FM) – Implementação de normas sanitárias no TO é alvo de programa do MPE
3º lugar: Isabel Cristina (Redesat/96 FM) – Projeto Família Guardiã é referência nacional

Categoria Webjornalismo
1º lugar: Jesana de Jesus (G1 Tocantins) – Mulher que sofreu violência por 13 anos celebra liberdade após buscar ajuda
2º lugar: Patrícia Lauris (JTO Online) – Alienação parental: mágoas que afetam a criação dos filhos
3º lugar: Angélica Lima (Portal Stylo) – Conflitos entre pais causam sofrimento aos filhos e têm consequências jurídicas

Categoria Fotojornalismo
1º lugar: Djavan Barbosa (Jornal do Tocantins) – Palmas arde em chamas todos os anos
2º lugar: Nielcem Fernandes (AF Notícias)  – Corta fogo
3º lugar: Emerson Silva (Jornal Stylo) – Alienação parental, uma triste realidade

Categoria telejornalismo
1º lugar: Ana Paula Rehbein (Rede Globo) – Pontes de papel
2º lugar: Cassiano Rolim (Rede Globo) – Funcionários fantasmas
3º lugar: Ana Paula Rehbein (TV Anhanguera) – Fuga Barra da Grota

Violência Sexual vem de dentro de casa – Luana Fernanda Rosa Martins – Arquivo 01

Violência Sexual vem de dentro de casa – Luana Fernanda Rosa Martins – Arquivo 02

Palmas arde em chamas todos os anos – Elâine Nolêto Jardim

Palmas arde em chamas todos os anos – Elâine Nolêto Jardim

Mananciais à beira da morte – Dermival Pereira – Capa

Mananciais à beira da morte – Dermival Pereira – Página 01

Mananciais à beira da morte – Dermival Pereira – Página 02

Implementação de normas sanitárias no Tocantins – Mara Santos – Faixa 01

Implementação de normas sanitárias no Tocantins – Mara Santos – Faixa 02

Projeto Família Guardiã é referência nacional e MPETO aguarda regulamentação pelo Governo Federal – Isabel Cristina Lima Gonçalves

Alienação parental mágoas que afetam a criação dos filhos – Patricia Anastácia Lauris Soares

FOTOJORNALISMO – Palmas arde em chamas todos os anos – Djavan da Costa Barbosa

FOTOJORNALISMO – Corta Fogo

FOTOJORNALISMO – Alienação parental, uma triste realidade

Nota de Pesar

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Tocantins – Sindjor ainda em choque, lamenta, profundamente, a morte do ex-presidente da Assembleia e jornalista Júnior Coimbra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fill out this field
Fill out this field
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu