SINDJOR emite carta sobre atuação e prevenção diante do coronavírus

O Sindicato dos Jornalistas do Tocantins (SINDJOR), emitiu na manhã desta sexta-feira, 20, uma carta-circular de orientação aos profissionais sobre a  prevenção ao Coronavírus  (COVID-19),  nos locais de trabalho.

 

Entre as recomendações estão: Não colocar profissionais da mídia em entrevistas pessoal com pessoas suspeitas ou com diagnóstico confirmado de Covid-19; reduzir a quantidade de profissionais nas redações; ampliar possibilidade de trabalho remoto; manter o pagamento integral e em dia de todos os jornalistas que, por ventura, sejam contaminados ou direcionados a trabalho home office.

 

Para a presidente do SINDJOR, Alessandra Bacelar, essas ações auxiliam na prevenção a pandemia que o mundo enfrenta. “Agindo assim, de maneira consciente e respeitosa para com os profissionais de comunicação, continuaremos nossa luta diária para informar, com redução de possibilidade de sermos contaminados ou sermos disseminadores de doenças”, explicou.

 

 

Confira a carta-circular na íntegra:

 

CARTA-CIRCULAR COVID-19

Palmas, 20 de março de 2020.

 

Assim como os trabalhadores da saúde, os jornalistas e demais profissionais da comunicação, estão na linha de frente contra essa pandemia. No nosso caso agimos para combater a desinformação e as falsas informações, reforçando o caráter social do jornalismo.

Em virtude disto, vimos por meio desta, orientar empresas de comunicação, assessoria de imprensa, jornalistas e demais profissionais da comunicação:

 

Sob hipótese alguma colocar profissionais da mídia em contato (entrevistas) pessoal com pessoas suspeita ou com diagnóstico confirmado de Convi-19, bom como familiares e pessoas próximas a elas;

 

Reconhecer e negociar com o sindicato para identificar ameaças a saúde, direitos e bem estar dos jornalistas;

 

Envolver os jornalistas nos processos de identificação e prevenção ao Convi-19 nos locais de trabalho;

 

Garantir que plano de saúde esteja em vigor, caso necessário;

 

Reduzir quantidade de profissionais nas redações e ampliar possiblidade de trabalho remoto;

 

Manter o pagamento integral e em dia de todos os jornalistas que por ventura sejam contaminados ou Direcionados a trabalho remoto ( home office);

 

Oferecer ambiente seguro e possibilidade de trabalho remoto, sem reduzir salários e outros ganhos do profissional e ainda subsidiando os custos extras do profissional com telefone e outras despesas necessárias ao bom andamento do serviço;

 

Fornecer lavatórios com agua e sabão e toalhas descartáveis e álcool a 70% aos profissionais no local de trabalho;

 

Reforçar higienização de corrimãos, maçanetas, mesas de trabalho, teclados, mouses, telefones, garrafas de agua e café e outros locais de múltiplos contatos;

 

Trabalhadores em atividades externas devem receber da empresa, sem custo, máscaras, álcool gel e outros equipamentos necessários a não contaminação, bem como a não disseminação de doenças;

 

Agindo assim, de maneira consciente e respeitosa para com os profissionais de comunicação, continuaremos nossa luta diária para informar, com redução de  possibilidade de sermos contaminados ou sermos disseminadores de doenças.

 

Atenciosamente,

 

Alessandra Bacelar

Presidente

Sindjor-Tocantins

Menu